Quarta-feira 16/05/12

Violência Há algum tempo estive em Porto Alegre, voltado para atividades acadêmicas. Na época, além de participar de seminários na área da psicologia organizacional e gestão de pessoas,...

568 0

Violência

Há algum tempo estive em Porto Alegre, voltado para atividades acadêmicas. Na época, além de participar de seminários na área da psicologia organizacional e gestão de pessoas, presenciei um pouco da violência que assola as grandes cidades do nosso pais, e que nem sempre foram analisadas e devidamente debatidas, e que devem ser amplamente debatidas, principalmente pelo fato de estarmos nos aproximando de um pleito eleitoral. Naquela ocasião tive o desprazer de estar em uma agencia bancaria na Avenida Carlos Gomes segundos após um assalto. O clima era de medo e insegurança, os assaltantes que estavam fortemente armados haviam quebrado a porta giratória com uma marreta e levado o dinheiro dos caixas. Neste momento percebi o quanto somos impotentes nestas situações extremas, e como é vital manter a calma. Mas o que mais me chamou a atenção foi a audácia dos bandidos que mesmo perto das 13 horas, em uma avenida movimentada, conseguiram entrar e sair sem que tivessem maiores impedimentos, a ponto da Brigada fazer buscas na região e não localizar os bandidos, o que faz com que aumente a nossa sensação de insegurança e impunidade.

Com isto, fica a pergunta no ar em relação a cidades de médio porte como a nossa, aonde ainda não chegou este tipo de violência, mas que deve estar muito atenta a isto, pois em cidades próximas já ocorreu e as nossas lotéricas também não foram poupadas. Vivemos em uma cidade relativamente pacata em relação á estes tipos de crimes, porem como diz o ditado “o seguro morreu de velho”, exigir uma segurança reforçada nas entradas dos bancos, e a presença constante de policiais na esquina democrática é fundamental para coibir ações desta natureza.

Outra coisa é manter um efetivo qualificado e bem equipado, bem como as linhas telefônicas bem estruturadas e funcionando devidamente. Fica a sugestão de tema a ser tratado pelos nossos candidatos ao executivo municipal.

Neste artigo

Participe da conversa