Bastidores

218 0

Ciclovias
Na sessão da última segunda-feira, dia 21, foi aprovado um projeto que prevê a criação de um Fundo Cicloviário, que será utilizado para construção de ciclovias em Santo Ângelo. O proponente do projeto foi o vereador Arlindo Diel (Democratas). Um projeto semelhante também foi proposto pelo vereador Vinicius Makvitz (PMDB), e foi encaminhado ao executivo como sugestão.
O fato é que a Capital das Missões está carente deste tipo de transporte, que além de ser ecologicamente correto, encontra um número expressivo de usuários, já que muitas pessoas utilizam este meio de transporte para ir ao trabalho, fazer compras ou para o lazer. Penso que poderíamos analisar a possibilidade, pois temos vias em que se poderia tranquilamente construir uma ciclovia que se estendesse da zona norte até o centro e zona leste, por meio da Avenida Venâncio Aires. Até mesmo a Avenida Getúlio Vargas poderia ser utilizada para a construção deste projeto, ligando a zona norte até a zona sul. Temos inúmeras possibilidades, o primeiro passo foi dado com proposição da criação do fundo, agora só falta quem tem o “poder da caneta” validar esta iniciativa.

Merece aplauso
Merece todos os aplausos a moção de apoio apresentada pelos vereadores Nader Awad (PDT) e Gilberto Corazza (PT), que repudia veementemente os ataques israelenses e traz em sua redação a solicitação por ações que promovam paz e detenham, de uma vez por todas, o massacre na região da Palestina. A moção foi aprovada por unanimidade e foi encaminhada para a ONU, ao Ministério das Relações Exteriores, Embaixada do Brasil na Palestina e ao Ministério da Defesa. As questões humanitárias devem permear os debates de todos os homens públicos.  

Merece uma vaia
As vaias são para o Estado de Israel, que pela ganância perseguem o povo Palestino. Esquecem-se que por séculos foram perseguidos e sabem na pele o que é ser atacado e oprimido.
Um aspecto que contribui para a continuidade de situações ou condições de heteronomia é a adesão do oprimido ao opressor. O oprimido acaba adquirindo os valores dos opressores, e assim o modelo de humanidade que vai procurar realizar é o do opressor. Passa a defender a visão individualista de liberdade, o que lhe impede de lutar pela própria libertação. Lembro do grande educador Paulo Freire, quando este dizia “Em sua alienação, os oprimidos querem a todo custo parecer-se com o opressor, imitá-lo, segui-lo”.   

Mudando de assunto
Parabéns aos nossos colonos e motoristas que no próximo dia 25 de julho comemoram sua importante data. Estes abnegados homens e mulheres contribuem com muita garra e determinação pelo desenvolvimento de nossa sociedade. A todos votos de muito sucesso.

Neste artigo

Participe da conversa