Programa Família Acolhedora em novo espaço

Atualmente, Santo Ângelo conta com 20 famílias acolhedoras e 29 crianças em situação de acolhimento.

83 0
inauguração contou com a presença de autoridades políticas, do judiciário e da área da infância e juventude, com a apresentação dos profissionais que exercerão suas atividades no Programa
inauguração contou com a presença de autoridades políticas, do judiciário e da área da infância e juventude, com a apresentação dos profissionais que exercerão suas atividades no Programa

Tido como o segundo maior do Brasil e referência no Estado do Rio Grande do Sul, o Programa Família Acolhedora de Santo Ângelo ganhou um novo espaço físico junto às instalações da Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Cidadania, organismo gestor da ação no município.
A inauguração foi na manhã da segunda-feira, dia 10, e contou com a presença de autoridades políticas, do judiciário e da área da infância e juventude, e com a apresentação dos profissionais que exercerão suas atividades no Programa.
Conforme a secretária municipal de Assistência Social, Jacqueline Possebom, o espaço físico foi ampliado e adequado, oferecendo condições para um atendimento qualificado, tanto às famílias que acolhem quanto às crianças e adolescentes que são acolhidos.
O juiz de Direito do Juizado Especial da Criança e do Adolescente, Luis Carlos Rosa, destacou o novo espaço: “Este é um espaço mais humanizado. Sempre ressaltamos que famílias que acolhem precisam ser acolhidas”, assinalou. Segundo o magistrado, o Programa Família Acolhedora de Santo Ângelo é o segundo em acolhimento no Brasil e o pioneiro no Estado do Rio Grande do Sul, com vinte lares acolhedores e 29 crianças da acolhidas.
Na solenidade, Luis Carlos Rosa apresentou algumas das famílias que estão recebendo em suas casas crianças e adolescentes, afastados do lar temporariamente. Uma das senhoras, de iniciais R.M., se disse feliz por participar do programa: “Eu sou feliz por parte da vida destas crianças. Enquanto tiver saúde, vou acolhê-las”, disse a voluntária.

FAMÍLIA ACOLHEDORA
O programa cadastra e prepara famílias para acolherem provisoriamente crianças e adolescentes que tenham seus direitos violados, como forma de proteção, quando se faz necessário o afastamento temporário dos mesmos do convívio familiar de origem. Jacqueline Possebom explica que a família acolhedora assume papel de parceiro no atendimento à criança e/ou adolescente e na preparação para o seu retorno às suas origens ou encaminhamento para adoção. A família acolhedora receberá acompanhamento e orientação da equipe técnica, bem como subsídio financeiro.

CRITÉRIOS DE PARTICIPAÇÃO
Podem se cadastrar e integrar o programa, pessoas maiores de 21 anos, sem restrição quando a sexo e estado civil; com idoneidade moral; de núcleo familiar onde nenhum membro faça uso de substâncias psicoativas ilícitas; que não tenha interesse em adoção; resida em Santo Ângelo; com disponibilidade de tempo e interesse em oferecer proteção e amor às crianças e adolescentes; e com parecer psicossocial favorável.
Os interessados em receber crianças e adolescentes dentro do Programa Família Acolhedora, podem efetuar o cadastramento na Secretaria Municipal de Assistência Social. Maiores informações podem ser obtidas pelo telefone 55-3312-2392.

Neste artigo

Participe da conversa