A primeira mulher motorista da Dinon é santo-angelense

Paula Demeneghi tem 24 anos e surpreendeu a todos ao escolher dirigir carretas. Ela já transportou soja entre Tocantins e Recife num Scania bitrem e a menos de...

14169 5

Paula Demeneghi (1) (Copy)Paula Demeneghi tem 24 anos e se tornou a primeira mulher motorista profissional de veículos de carga da Dinon Transportes. “Não nasci árvore para viver plantada em um único lugar”, disse a motorista ao contar que ama viajar e conhecer novos lugares. Esta jovem teve que vencer preconceitos e barreiras para conquistar um sonho de infância, que é atuar em uma profissão que permite viajar e conhecer o mundo.
A Dinon Transportes é referência neste setor, tem uma das mais modernas frotas de veículos de carga e atua nas regiões Sul, Sudeste e Centro Oeste. Para conquistar a vaga Paula teve que concorrer em paridade com motoristas experientes. Passou por todos os testes de perfil psicológico e prático da empresa e enfim, está vivendo uma experiência única, principalmente porque esta profissão ainda é dominada por pessoas do sexo oposto.
Além do exercício diário da profissão ela precisa enfrentar o preconceito dos homens e o estereótipo criado por outras mulheres, que exercem a profissão pelo oportunismo e exibicionismo. O Gerente de Logística da Empresa, Marcelo Dinon, afirma que não há privilégios por ela ser mulher. “Esta jovem surpreendeu a todos, não só por ser mulher, mas também por ter apenas 24 anos”, disse o gerente.
Quando questionado se ela é poupada de algum tipo de serviço, ele afirma com tranquilidade, que qualquer motorista jovem que estivesse na empresa não seria exposto a situações desnecessárias. Ela ainda está adquirindo experiência, mas está apta e atua do mesmo modo que qualquer outro motorista da empresa.
A tensão natural da profissão se amplifica por ser mulher e ter apenas 24 anos. Paula argumenta que mesmo no perfil tradicional do caminhoneiro, existem questões de responsabilidade com o veículo e o valor da carga, pois a estrada é um território em que ocorrem assaltos e tem muita concorrência.

Como tudo começou?
Tudo começou na infância, quando Paula Demeneghi morava com os avós maternos, Loreni e Paulo Veiga. A menina usava uma cordinha para puxar caminhões de brinquedo por estradas de terra, desenhadas na área próxima ao Aeroporto de Santo Ângelo.
Mas entre a brincadeira e a realidade, há uma distância muito grande. Com a determinação de quem sabe o que quer esta menina resolveu aprender mais sobre a profissão e trabalhou na Pippi Pneus. Foi nessa época que Paula realizava a manutenção e revisão da frota da Dinon. Conheceu pessoas, estabeleceu contatos e aprendeu tudo que pode sobre caminhões.
Mais tarde ganhou uma oportunidade de transportar soja com um bitrem (Scania – 124 bicudo) entre Tocantins e Recife. Um dos momentos mais difíceis de sua vida. “A tensão de conduzir um caminhão na estrada não é fácil, no início eu chorava todos os dias”, disse Paula ao falar de como tudo começou. Ela explica que mesmo na estrada há muita resistência do meio por fatores como a idade e os preconceitos com o sexo feminino.
A menos de um ano ela conquistou a vaga na Dinon Transportes e tornou-se uma motorista profissional de carga. Realizou deste modo o sonho de infância, quando viajava no mundo da imaginação puxando o seu caminhão na terra. Agora ela continua sonhando, seu próximo desafio é realizar viagens internacionais.

Paula Demeneghi - 02 (Copy)

 

Neste artigo

Participe da conversa

5 comentários

  1. Iara Responder

    Parabéns guerreira. Fico orgulhosa de você nos representar como.mulher dirigindo um carreta de transporte.
    Força e sucesso no teu trabalho.

  2. Ana Verônica musialowski Responder

    Parabéns . Escolher uma profissão que venha a prencher seu ideal e satisfação são méritos de pessoas com personalidade e mais gostar do que faz é previlegio de poucos que sabem o que querem. Mas vencer barreiras até chegar onde deseja é ser perseverante. Podemos definir com uma palavra: ATITUDE

  3. Rafael Responder

    Muito legal. Parabéns!!! Todos nós sabemos que não é fácil a vida na estrada. Não é fácil para mulheres e nem para homens. Siga em frente com seu sonho. Também sonhei do mesmo modo que você, puxava carretinhas de brinquedo e colecionava revistas do O carreteiro. Fique com Deus. Proteção Divina

  4. Isoldi Maria Ruschel Responder

    Parabéns Paula vc representa muito bem nós mulheres vc é uma guerreira.

  5. Givanilton Barros Responder

    Muito mais sucesso pra você, c arrebenta. Aqui Givanilton Barros