Prédio da década de 20 será restaurado

Secretaria de Cultura e Compahc aprovam projeto de restauração de imóvel localizado na Rua Marquês do Herval, construído no ano de 1920 e que faz parte do patrimônio...

677 0
Fernando Gomes
Prédio está localizado na Rua Marquês do Herval esquina com a Rua Bento Gonçalves, próximo ao Clube Gaúcho/Fernando Gomes

O Governo Municipal, por meio da Secretaria de Cultura, está dando suporte e apoio para a realização de obras de restauração e reparação no prédio localizado na Rua Marquês do Herval esquina com a Rua Bento Gonçalves, próximo ao Clube Gaúcho, de propriedade do advogado Laércio Roque Tolfo Viera.
A secretária de Cultura, Neusa Cavalheiro e a arqueóloga coordenadora do Núcleo de Arqueologia (NArq), presidente do Conselho Municipal do Patrimônio Arqueológico, Histórico e Cultural de Santo Ângelo (Compahc), Thális Garcia e demais integrantes do conselho, reuniram-se na quarta-feira, 27, com o advogado e proprietário do imóvel, juntamente com o arquiteto responsável pelo projeto, Sérgio Schneider, para avaliar as obras de restauração no antigo prédio histórico e a construção de um novo imóvel em anexo.
Neusa ressaltou que a iniciativa de preservar um imóvel de grande importância no contexto histórico do município é um exemplo aos demais proprietários, e que a preservação do patrimônio cultural e o desenvolvimento econômico podem andar harmonicamente. “Esse sobrado é um dos 65 imóveis que fazem parte do Inventário do Patrimônio Cultural de Bens Imóveis de Santo Ângelo.
Para realizar obras de restauração no local, é preciso que o proprietário tenha a aprovação do Patrimônio Arquitetônico, Histórico e Cultural (EPAHC), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Cultura”, explica.
O Compahc é o responsável pela fiscalização, vigilância, proteção e aprovação, bem como, a inclusão ou retirada de imóveis na listagem do inventário. Segundo a presidente do conselho, Thális Garcia, o imóvel está inserido no quadrilátero do Centro Histórico, sendo necessária a emissão do Laudo de Prospecção Arqueológica. “Na próxima quarta-feira, dia 6, já com o laudo, a equipe do NArq dará início às escavações no terreno”, disse a presidente.
Conforme a Lei Municipal nº 3.998/2015, o imóvel está classificado como grau dois de proteção, sendo exigida a preservação das características arquitetônicas, artísticas e decorativas externas. Poderão ser realizadas obras de intervenções internas, desde que mantidas e respeitadas às características externas do prédio.
De acordo com o arquiteto responsável, o projeto de restauração recebeu a devida atenção para a história patrimonial do prédio. “Tivemos o cuidado em projetar a construção do novo e o restauro do antigo para que formem um conjunto harmônico. O novo prédio vai se destacar pela arquitetura contemporânea e o antigo contando sua própria história”, relatou. Também estão envolvidos no projeto de restauração e do novo prédio a arquiteta Fernanda Schneider e a designer Bibiana Schumann.

Divulgação
Divulgação
Neste artigo

Participe da conversa