“Nove mil quilômetros de aventura pelo sertão nordestino em 15 dias”

Henrique Weinert e Gustavo Guarani não abrem mão do turismo de aventura em duas rodas, nos últimos cinco anos percorreram cerca de 80 mil quilômetros por estradas nacionais...

86 0

Mototurismo 06 (Copy)A dupla cruzou o semiárido, desbravou o sertão, tomou caldo de bucho de bode, comeu esfirra de palma, baião de dois, carne de sol, bode assado, enfrentou o calor, a baixa umidade do ar, e por meio das amizades conquistadas no trajeto, a aventura se expandiu, ou seja, a dupla só não acompanhou uma das sete etapas do Rally dos Sertões 2018. Henrique Weinert e Gustavo Guarani não desistiram enquanto não cruzaram cidades como Barra na Bahia, São Raimundo Nonato no Piauí e Juazeiro do Norte em Fortaleza, onde o Rally foi finalizado no dia 25 de agosto.
A dupla cruzou o limite geográfico de nove estados brasileiros, Henrique emagreceu, pelo menos, seis quilos durante a viagem, mas acima de tudo, estes amigos aventureiros se surpreenderam com a experiência de cruzar o sertão nordestino, conhecer a hospitalidade do povo e contar com a parceria e amizade das equipes do Rally. Ao todo, foram 15 dias longe de casa e contabilizados mais nove mil quilômetros de mototurismo de aventura.
Resumindo a viagem Henrique fala com fluência a frase: “Nove mil quilômetros de aventura pelo sertão nordestino em 15 dias. Subimos por um lado e voltamos por outro, cruzamos o Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas, Goiás, Piauí, Ceará e Pernambuco. Vale registrar ainda a experiência de conhecer a realidade de cidades como São Raimundo Nonato e Barra no Sertão da Bahia”.
Gustavo Guarani completa falando que nestes locais não chovia há oito meses. “Tú não tem noção do que realmente aquele povo passa, não é pobreza… É miséria mesmo. Na estrada só se vê caminhão pipa, o tempo todo. Todas as casas têm cisternas. Só se vê arbustos secos e o calor é infernal, a umidade relativa do ar fica abaixo de 20%. Impressionante, uma experiência única”.
Foram dez dias até Fortaleza, onde encerrou o Rally e para retornar a Santo Ângelo foram gastos cinco dias. Guarani disse que uma viagem deste tipo exige condicionamento físico, a dupla faz treinos diários na academia, ambos possuem o mesmo modelo de motocicleta uma BMW-GS 1200 Adventure com cases (baús) laterais onde levam água, barra de cereais e repositor energético.
O peso total da motocicleta abastecida é de quase 300 quilos e o veículo tem uma autonomia de 500 quilômetros. Eles também organizaram um roteiro bem detalhado para evitar problemas. Nos trajetos longos, percorrem 400 quilômetros sem parada, uma das artimanhas da dupla é usar um comunicador para diálogos e troca de informações durante a viagem.
“Nossas viagens são de aventura, para fazermos turismo, conquistarmos amizades e conhecermos o modo de vida de pessoas de outros lugares. Paramos em locais simples, chegamos a comer em bares onde o alimento é preparado com os ingredientes do lugar, pois a gastronomia também nos interessa”. A dupla não revela o próximo roteiro, mas já está fazendo planos.

Mototurismo 10 copiar (Copy)

Mototurismo 03

Neste artigo

Participe da conversa