Momento de incertezas mantém caminhoneiros parados

A paralisação dos caminhoneiros continua, eles estão concentrados no entroncamento da BR 285 com a ERS 344 em Entre-Ijuís

144 0

Caminhoneiros 02O descredito nos políticos, na política e as condições precárias de trabalho no exercício da profissão mantêm centenas de caminhoneiros inertes no trevo de acesso a Entre-Ijuís e Santo Ângelo e aos poucos a população da cidade vai sentindo os reflexos.
Conversamos com eles na beira do asfalto. Muitas são as posições políticas e entendimentos, mas eles continuam mobilizados por tempo indeterminado e manifestam total descrédito na mídia, nos políticos e até nos líderes do movimento. “Todos vendidos” disse um dos caminhoneiros.
Eles manifestam a vontade de mudar o panorama político e econômico. Os caminhoneiros também não escondem a falta de liderança entre os companheiros do movimento e percebem que estão vivendo um momento de incerteza e desinformação. Na visão deles, exite uma guerra de informações e ainda pessoas de todos os tipos usando o movimento para causas próprias.
Em um desabafo, muitos dizem que o pessoal da cidade não tem noção das dificuldades que eles passam para trazer combustível, sapato alto, arroz, feijão, celulares para todos. ‘‘Neste momento de paralização tem gente pagando R$ 7,00 e até R$ 10,00 o litro de combustível. Isso não tem fundamento”, disse um caminhoneiro, “eu não tenho nada pra comer na minha casa e nem dinheiro, nas estou aqui”, concluiu ele.
“A paralização se tornou um movimento de todo o povo” disse um dos líderes do movimento em Santo Ângelo. Os manifestantes não acreditam que o desconto de R$ 0,46 no preço do diesel fará a diferença no dia-a-dia e dizem que os representantes em Brasília “Pipocaram”.
Percebem que a redução é irrisória e se constitui uma medida paliativa. Porém não visualizam solução. Os caminhoneiros percebem que não há mudança na política de preços, mesmo que haja a promessa de congelamento por 60 dias, permanece um sentimento de incerteza para a população e entre os caminhoneiros: “Depois de 60 dias tudo voltaria ao patamar anterior?”, mesmo que não declarem explicitamente, eles percebem a Petrobras como uma empresa do povo, uma estatal, e não acreditam na política de preço que prioriza lógicas de mercado.
Aquilo que a mídia nacional diz não entender, eles entendem muito bem. Os caminhoneiros querem que a Petrobras agrade os Brasileiros e não a bolsa de valores e os investidores internacionais. Desde que o Michel Temer, Ministro Henrique Meirelles e Pedro Parente assumiram o comando da economia de combustíveis os preços dispararam sem perspectiva de mudança.

Relexos da greve

URI – Na Universidade Regional Integrada, as aulas foram canceladas o retorno será somente na segunda-feira, dia 4 de junho. As atividades administrativas e da Escola de Educação Básica estão mantidas normalmente.

Faculdade CNEC – Na Faculdade CNEC, as aulas foram suspensas nesta semana, retornando a normalidade na segunda-feira, dia 4 de junho. As aulas e atividades administrativas do Colégio Cenecista Sepé Tiaraju serão normais nesta quarta-feira. Na quinta e sexta-feira será feito feriadão.

Rede Estadual – Na rede estadual de ensino, as aulas foram canceladas na segunda-feira, dia 28. Na terça-feira, as atividades foram retomadas. A Seduc informa que está avaliando a manutenção ou não desta suspensão.

Rede Municipal – Na Rede Municipal, as aulas foram realizadas de forma normal na segunda e terça-feira, dia 28. Somente em algumas áreas do interior tiveram as atividades suspensas.

IF Farroupilha – O Campus Santo Ângelo informou a suspensão das aulas do turno da noite na terça-feira, dia 29 e nesta quarta-feira, dia 30 de maio (as aulas do turno diurno e demais atividades administrativas estão mantidas).

Viação Tiaraju – A Viação Tiaraju reduziu a frota em 50% na segunda-feira, dia 28. A medida foi tomada com o objetivo de continuar disponibilizando o serviço a população. A medida deve seguir até que a situação do abastecimento de combustível seja normalizada.

Quermesse cancelada – A tradicional Quermesse da Paróquia Anjo da Guarda, que estava programada pare esse final de semana foi transferida para os dias 7 e 8 junho. Já a missa e a Procissão de Corpus Christi acontecem normalmente na quinta-feira ás 15h. Em caso de chuva, a parte celebrativa acontece na dentro da igreja, logo após a missa.

Nota das entidades de classe

As entidades ACISA, CDL e SINDILOJAS MISSÕES vem a público pedir que o bom senso prevaleça e que a crise de abastecimento chegue ao fim. Apoiamos o movimento de paralisação durante vários dias, até que os seus pleitos fossem atendidos, porém, o movimento começou a modificar suas reivindicações tornando as demandas difusas e gerando instabilidade e caos. Baseado nisso, entendemos que os caminhoneiros devem voltar a transportar para que tenhamos o país retornando à normalidade. O Governo Federal tomou posições desastradas, onde esta mobilização poderia ter terminado bem mais cedo. Agora, o Governo cita que irá aumentar impostos para compensar, e não fala em corte de gastos, que seria uma posição sensata a tomar neste momento para agilizar o retorno do nosso país aos trilhos. Esperamos que os governantes entendam a necessidade urgente de uma reforma tributária e corte de gastos para que o nosso Brasil possa crescer e se tornar mais forte.

Neste artigo

Participe da conversa