Investigação arqueológica

Terreno que está localizado no perímetro do Centro Histórico de Santo Ângelo, antes de receber um empreendimento imobiliário está passando por uma vistoria arqueológica

1221 0
Durante as escavações já foram encontrados restos cerâmicos utilitários, telhas e tijolos do período jesuítico
Durante as escavações já foram encontrados restos cerâmicos utilitários, telhas e tijolos do período jesuítico

Escavações arqueológicas (1)

Leandro Zimermmann coordena o trabalho de campo
Leandro Zimermmann coordena o trabalho de campo

Técnicos do NArq – Núcleo de arqueologia realizam uma vistoria arqueológica em terreno localizado na Rua Bento Gonçalves que está no perímetro do Centro Histórico de Santo Ângelo. Segundo o Técnico em Arqueologia Leandro Zimermmann, que coordena a vistoria e nesta semana trabalha no local, todo terreno que está no quadrilátero compreendido entre as Ruas Sete de Setembro, Av. Rio Grande do Sul, Marechal Floriano e Quinze de Novembro, entes de receber qualquer empreendimento imobiliário, deve passar por este tipo de vistoria.
O atual mapa de Santo Ângelo foi confrontado com o mapa Confeccionado pelo Cartógrafo Espanhol José Grabber, que no ano de 1784 descreveu e fez um mapa dos restos da Redução de Santo Ângelo Custódio, Leandro explica que no terreno em estudo, não há indícios de construções, mas a cerca de 50 a 70 metros acima, foi encontrada a base de um pilar que segurava uma casa de índios. A base servia para segurar o esteio e pelos cálculos dos arqueólogos tinha de 70 a 80 metros.
A localização desta casa serviu de ponto de referência para as escavações que estão em curso naquele terreno. Durante a vistoria já foram encontrados ossos, restos de telhas, tijolos, fragmentos cerâmicos utilitários, como restos de pratos, potes, sobretudo na parte mais superficial do solo.
Leandro Zimermmann coordena o trabalho de campo, naquele espaço e explica que não há suspeitas de obras arquitetônicas jesuíticas ou pré-jesuíticas exatamente naquele ponto de verificação. Neste trabalho são realizadas perfurações em espaçamentos pré-determinados, é retirado o material, depois peneirado, encaminhado ao NArq e também catalogado. Caso seja encontrado alguma evidência mais relevante será realizado um estudo mais detalhado do local.

Neste artigo

Participe da conversa