A incrível história do busto de Palmiro Rigon

Na série “Personalidades” desta edição, contamos a história de um busto esculpido em arenito rosa que representa Palmiro Rigon. A escultura foi um presente de Rogério Bertoldo, idealizador...

619 0

IMG_2840 (Copy)Este busto não está em espaço público, não representa um líder religioso e nem um político reconhecido, mas sim, um cidadão santo-angelense que desafiou o senso comum e ficou conhecido por buscar o aprofundamento em conhecimentos milenares que poderiam ajudar as pessoas.
Palmiro Rigon era uma pessoa discreta, foi caminhoneiro até o final da década de 70 e na cidade de Brasília conheceu Raimundo Nonato Pires dos Reis Eirado, um professor de física fascinado pela Pirâmide de Quéops. Foi com este professor que ele aprendeu técnicas e iniciou estudos mais aprofundados sobre estas enigmáticas construções.
Palmiro construía pirâmides em casa e fazia testes, nos quais, “mumificava” alimentos e estudava os efeitos eletromagnéticos destes instrumentos. A curiosidade por este tema levou-o a estudar física quântica, neurociência e no ano de 1996 fundou a Associação Missioneira de Desenvolvimento Mental.
O conhecimento destas ciências e os estudos das pirâmides motivaram Palmiro Rigon a trabalhar pela difusão destes conhecimentos, resultou na construção da Pirâmide das Missões, uma das mais incomuns obras arquitetônicas da cidade de Santo Ângelo.
Em suma, Palmiro liderava um grupo de pessoas interessado em praticar e pesquisar os ensinamentos da física quântica e da neurociência, aliados a conhecimentos milenares de equilíbrio mental, energização e harmonização.
Palmiro Rigon nasceu em São João dos Mellos em 26 de novembro de 1933, foi lá que conheceu sua Esposa, Eleni Rigon. No ano de 1965 o casal veio para Santo Ângelo, na mesma casa onde o busto está guardado.
A Sra. Eleni Rigon declara que não tem planos definidos para a escultura e fala da personalidade de Palmiro, “ele era muito discreto e nunca declarou a vontade expor o busto em um local específico”, completa Eleni. Atualmente a escultura disputa espaço com outros pertences e materiais usados por esta inspiradora personalidade, em uma peça da residência da família.

A Pirâmide
das Missões

Pirâmide das Missões 02 (Copy)A Pirâmide das Missões está localizada no Jardim Residencial Sabo, na Rua Oscar Sabo, 252 na área do “Parque das Américas”. A construção em formato piramidal foi inspirada na “Pirâmide de Queóps” e idealizada por Palmiro Rigon (falecido em 07/03/2018), projetada pelo arquiteto Wanderlei Menezes Filho e pelo Engenheiro Carlos Hartmann, sendo executada pelo Construtor Luiz Weisser.
A construção foi iniciada em 07 de dezembro de 1996, mesmo ano em que foi criada a Associação Missioneira de Desenvolvimento Mental. No entanto, a conclusão da obra e a pedra fundamental de inauguração é de 2006.
A Pirâmide das Missões tem lado da base de 15m, diagonal da base de 21,21m, apótema de 14,27m e a altura é de 9,55m. As medidas são proporcionais a antiga Pirâmide Egípcia de Queóps (ou khu-fu).
Esta construção foi criada com finalidade específica, dar suporte às atividades práticas e coletivas da Associação Missioneira de Desenvolvimento Mental.
A pirâmide foi construída para ser um espaço de encontros, meditação e exercícios mentais. A Associação Missioneira de Desenvolvimento Mental é uma entidade de utilidade pública conforme o decreto 13/97 de 25/08/1997. A sede da Associação está no Parque das Américas, em uma área de mata preservada composta por 27.086,55 m².
A área do terreno onde foi construída a Pirâmide e sede da associação possui um desnível e logo abaixo da base da construção foi possível organizar na área construída, uma cozinha para encontros de recreação ou realização de almoços com produtos orgânicos voltados a pessoas que buscam uma alimentação saudável, vegetariana ou vegana.

Saiba mais sobre o autor da escultura

Jardim das Esculturas (Copy)O busto esculpido em arenito rosa foi um obra e um presente de Rogério Bertoldo, idealizador do Jardim das Esculturas, um lugar incomum em meio à paisagem rural de São João dos Mellos, interior do município de Júlio de Castilhos, Bertoldo tem parentesco com Eleni Rigon e tinha uma afinidade espiritual com Palmiro Rigon, muitas vezes trocaram experiências e percepções de mundo.
O Jardim das Esculturas é um espaço de seis hectares onde está exposto, a céu aberto, o maior acervo de esculturas em pedra da América Latina.
Rogério Bertoldo não para de criar, ele já ultrapassou a marca de 600 obras idealizadas com agilidade, mas que transmitem profundo conhecimento nesta arte. Rogério Bertoldo iniciou o jardim no ano de 2005, quando esculpiu com um machado e facas de cozinha a sua primeira obra. Depois fez esculturas para representar as posições do Ioga e não parou mais, continua esculpindo com técnica autodidata: indígenas, mulheres, animais, tarefas cotidianas e, mais recentemente, uma auto retratação contando sua trajetória pessoal ao criar o Jardim das Esculturas. Seu universo interior.

Neste artigo

Participe da conversa