Conselheiros tutelares de Santo Ângelo percebem aumento na violência intrafamiliar

Falta de emprego e renda, tempo de convivência familiar prolongado agravam problemas de relacionamento e aumenta o número de atendimentos no Conselho Tutelar de Santo Ângelo

231 0
Fábio Avila, Viviani Almeida, Diana Konzen, Alcinda de Souza (coordenadora) e Jonatã Ferreira (vice)
Fábio Avila, Viviani Almeida, Diana Konzen, Alcinda de Souza (coordenadora) e Jonatã Ferreira (vice)

Durante a pandemia os conselheiros tutelares de Santo Ângelo percebem um significativo aumento no número de ocorrências e violência intrafamiliar, são atendimentos para mediar conflitos mais simples, até vias de fato, ou seja, agressões que resultam em medidas protetivas mais severas como as de afastamentos do convívio das famílias.

“Desde o início do confinamento foram mais de 350 denúncias relatando violência e maus tratos demandando em muitos casos aplicação das medidas de proteção” afirmou o vice-coordenador do conselho Jonatã Ferreira.

Boa parte dos conflitos relacionados a divergências são resolvidos com a mediação e o diálogo. No entanto, em casos de violência física e sexual, quando não são passíveis de resolução harmônica busca-se, em última instância, o afastamento temporário como medida protetiva.

No município de Santo Ângelo o acolhimento institucional é um dos instrumentos para efetivação desta política de proteção, são adquiridas vagas em instituição preparada para este propósito e nos últimos meses já ocorreu um período em que houve o esgotamento destas da cota de vagas, dado o aumento do número de casos.

Jonatã Ferreira avalia que a pandemia está impactando nas questões financeiras, nutricionais e de saúde das famílias, consequentemente, direitos básicos de crianças e adolescentes ficam prejudicados em determinadas camadas sociais. Neste propósito, a atuação do Conselho também se efetiva na orientação e encaminhamento para as instâncias da assistência social e da promoção da saúde.

Por outro lado, o aumento da violência intrafamiliar na quarentena evidencia a importância de envolver a criança e o jovem em atividades de desenvolvimento humano como a escola, projetos esportivos e demais interações no turno inverso aos estudos.

Saiba onde e como procurar ajuda

Sede do Conselho Tutelar de Santo Ângelo. Av. Getúlio Vargas, 2000 Foto: Marcos Demeneghi
Sede do Conselho Tutelar de Santo Ângelo. Av. Getúlio Vargas, 2000 Foto: Marcos Demeneghi

O atendimento à população é feito na sede do Conselho Tutelar de Santo Ângelo localizado na Av. Getúluio Vargas, nº 2000.
As atividades continuam, mas com atenção as medidas de proteção à Covid-19. Antes da quarentena, quatro conselheiros permaneciam na sede diariamente, desde março deste ano, há um revezamento entre os titulares.
O horário de funcionamento é das 8h ao meio-dia e das 13h30min às 17h, o plantão 24h é efetivado pelo telefone 55 9 8419 5716.

Neste artigo

Participe da conversa