Como usar o sol para gelar o refrigerante?

Conheça como funciona o sistema de transformação da energia solar em elétrica. Claudemir Barichello Zanuso é proprietário de um supermercado e praticamente conquistou a autossuficiência energética instalando 173...

709 0

Claudemir Barichello - Geração de energia solar (Copy)Não é piada de Facebook e sim a realidade dos fatos. Claudemir Barichello Zanuso é dono de um supermercado e a “conta de luz” era uma das despesas fixas que mais pesava no orçamento mensal, ultrapassava R$ 5 mil. Ele perdeu algumas noites de sono mas resolveu apostar na geração de energia elétrica por meio de módulos fotovoltaicos. Investiu cerca de R$ 215 mil reais para instalar uma micro-usina que transforma a energia do sol em energia elétrica. Praticamente toda a energia elétrica consumida no supermercado é gerada no telhado do estabelecimento em 350m² de captação solar.
A primeira medida que Claudemir tomou após perceber que o seu investimento deu certo, que o sol realmente gerava energia elétrica com eficiência, foi adquirir novos freezers para oferecer aos clientes o refrigerante gelado ao mesmo preço daquele vendido na prateleira, ele também voltou a dormir mais tranquilo e leve, afinal seu investimento valeu a pena e ainda está contribuindo para a geração de energia limpa.
A micro usina do Claudemir possui 173 módulos de 2mx1m, potência de 57,09 kWp (Watt-pico – Wp – é uma medida de potência energética, normalmente associada com células fotovoltaicas). Mas para o nosso entendimento, vale destacar que ela gera o equivalente a uma conta de luz com consumo mensal de 6.590 kwh. (O consumo médio de energia nas residências brasileiras é de 157 KWh por mês).

E quando chove o refrigerante fica quente?
O refrigerante também gela a noite, quando está nublado ou está chovendo. Isso é possível porque durante os picos de maior irradiação solar a micro-usina do Claudemir gera mais eletricidade que ele precisa, ou seja, sobra eletricidade. Esta produção excedente é injetada na rede elétrica da rua e consequentemente é consumida pelos outros moradores, mas isso gera um crédito energético para ele.
Para controlar este fluxo de geração e consumo de energia elétrica no estabelecimento a RGE instala equipamentos próprios para este fim. Toda a energia gerada além do consumo resulta em um crédito na contabilidade energética do Claudemir e quando a noite chega ele pode usar a energia que está sendo gerada pelas hidrelétricas e fornecida pela RGE, se utilizando dos créditos gerados durante os picos de sol. O sistema foi instalado em julho e no mês de setembro, por exemplo, a contabilidade de produção e o consumo foi praticamente zerada.  Esta permuta de energia é possível porque existe no Brasil a regulamentação da Micro e Minigeração Distribuídas, que permite que o consumidor brasileiro gere sua própria energia elétrica a partir de fontes renováveis podendo inclusive fornecer o excedente para a rede de distribuição de sua localidade.Esta possibilidade existe desde 17 de abril de 2012, quando entrou em vigor a Resolução Normativa ANEEL nº 482/2012.

36535950_655079931499700_3208271958009446400_o (Copy)

36617503_655079904833036_6990094286813396992_o (Copy)CRIPY (26) (Copy)

Neste artigo

Participe da conversa