O desafio de estudar em casa

O sistema formal de ensino mudou temporariamente por conta do Covid-19. Talitta Muniz e Daiane Vaz continuam os estudos na modalidade remota. Antes precisavam estar presencialmente nas universidades...

640 0

O sistema formal de ensino mudou temporariamente por conta do Covid-19. Talitta Muniz e Daiane Vaz continuam os estudos na modalidade remota. Antes precisavam estar presencialmente nas universidades e cursos, mas agora se adaptam a uma nova rotina com aulas em casa. Confira na segunda matéria da série “Ensino e pandemia” como estas santo-angelenses enfrentam o novo desafio.

O ensino remoto que está sendo utilizado por alunos e docentes é de caráter emergencial para substituir as aulas presenciais, ou seja, por um período de urgência. Diferente do ensino a distancia (EAD), preparado exclusivamente com metodologias para o ambiente virtual – é consolidado via normativas do Ministério da Educação pelo Decreto 5.622, de 19 de dezembro de 2005.

O município conta com quatro instituições de ensino superior, sendo uma pública e outras três privadas, que tem o ensino presencial com os maiores números de alunos. Desse modo, a cultura cotidiana da vida mudou em poucos dias, fazendo com que novas adaptações fossem necessárias. Todavia, para alguns estudantes não ficou tão fácil o novo modo de aprender.

Talitta Muniz e o filho João durante atividade de estudo remoto - Foto: Everton Cabral
Talitta Muniz e o filho João durante atividade de estudo remoto – Foto: Everton Cabral

Talitta Muniz, de 19 anos, estudante de Gestão do Agronegócio no Instituto Federal Farroupilha relata que “no começo estava sendo mais fácil, mas mesmo assim, eu fico um pouco perdida, pois nas aulas presenciais consigo prestar mais atenção. Já em casa, há muitas coisas que distraem, por exemplo, eu tenho filho pequeno e é desafiador acompanhar as aulas com ele. E, ainda, não tive recursos da universidade para me adaptar, eles disponibilizaram somente a plataforma para estudarmos.”

Com isso, o ensino remoto agrava e prejudica o desempenho acadêmico de estudantes que não tem ambientes favoráveis para aprender estando fora da universidade. A falta de atenção aliada a distração dificulta o entendimento dos conhecimentos do curso e exige dos estudantes mais concentração e foco.

No entanto, para outras estudantes que já estão habituadas com o ensino a distância, fica mais fácil acompanhar as aulas do ensino remoto. Daiane Naiara Vaz, Assistente Social, e discente do curso de Mediação e Alta Performance, conta que estudar online é tranquilo pois já cursou a faculdade EAD e já realizou cursos na modalidade.

Daiane fala: “sempre vi com bons olhos o ensino remoto, agora mais ainda, pois é mais prático e podemos estudar no conforto de casa, claro que exige mais dedicação e se policiar para não cair no automático. Apesar disso, as dificuldades das aulas online para mim é o contato do olho a olho, mas vejo muito mais benefícios, ainda mais na situação que estamos enfrentando contra o Covid-19 que devemos estar em distanciamento social.”

Nesse sentido, cada estudante consegue enxergar o ensino e a aprendizagem neste momento de uma maneira, a partir de suas experiências cotidianas. Tentando superar suas dificuldades e adaptando-se ao cenário da educação em tempos de pandemia.

Reportagem | Éverton Cabral

Neste artigo

Participe da conversa