Como está o andamento do ano letivo na Rede Estadual de Educação?

Como a 14ª CRE - Coordenadoria Regional de Educação está contornando o momento de pandemia. A Diretora do Departamento da Educação da 14ª CRE Sandra Grasel e a...

181 0

As aulas presenciais da rede estadual foram suspensas devido às medidas de afastamento social. Um desafio inédito para professores, alunos e também a política de ensino em todo o Brasil. Como a 14ª CRE – Coordenadoria Regional de Educação está contornando este cenário. A Diretora do Departamento da Educação da 14ª CRE Sandra Grasel e a Coordenadora Rosa Maria de Souza responderam com exclusividade para O Mensageiro questões relacionadas a este processo. Confira.

1 – Como serão contabilizados os dias letivos ou horas aulas se elas estão suspensas desde o dia 19 de março?

Resposta: A partir do dia 19 de março até 30 de abril, a Rede Estadual optou pela metodologia das aulas programadas, o professor preparou as atividades e enviou para os alunos, através das tecnologias. As atividades também foram disponibilizadas de outras formas, como retirada do material na escola, o transporte escolar levou até casas mais distantes, professores levaram até os alunos, para que todos os discentes conseguissem o acesso as aulas programadas.
Através do diário de classe online os conteúdos foram registrados conforme o que foi fornecido ao aluno, seguindo o horário de cada professor, e as equipes pedagógicas das escolas elaboraram relatórios das atividades contabilizando as horas aulas.

2 – Foram discutidos possíveis cenários para o retorno? Caso não seja possível retornar aulas presenciais em junho e nem mesmo em julho, qual será a estratégia da equipe da SEDUC para seguir com o processo de educação no estado?

Resposta: O retorno as aulas presenciais depende da liberação dos órgãos da saúde, caso não seja recomendado o retorno em junho, continua a metodologia das aulas programadas. Estão sendo discutidas estratégias para o retorno, os professores da rede foram consultados e enviaram sugestões para a volta às aulas presenciais, mas sempre respeitando as orientações da saúde (OMS).

3 – As aulas foram suspensas devido às medidas de afastamento social, mas qual a estratégia para que os alunos não deixem de aprender conteúdos básicos ou primordiais para a formação deles?

Resposta: Os professores criaram as mais diversas estratégias para aprendizagem, videoconferências, pesquisas, explicações através do whats, metodologias ativas, jogos … Os professores reinventaram suas práticas.

4 – A coordenação pedagógica está considerando satisfatória a metodologia empregada (aulas programadas) durante a suspensão?

Resposta: A coordenação pedagógica da 14ª CRE recebeu o relatório das aulas programadas de todas as escolas de nossa abrangência até dia 24/04/20, relato de um trabalho bem elaborado, bem planejado, logo consideramos um trabalho satisfatório. No retorno às aulas presenciais teremos uma avaliação diagnóstica da aprendizagem dos alunos, acreditamos que para o momento em que estamos vivendo a melhor estratégia foi a utilização da metodologia das aulas programadas, pois os alunos continuaram com o vínculo com os professores e com as atividades escolares, mesmo com o distanciamento social.

Aulas em casa (Copy)

Montagem de fotografias mostram professores e alunos em atividade - Divulgaão 14ª CRE
Montagem de fotografias mostram professores e alunos em atividade – Divulgaão 14ª CRE

Linha do tempo da suspensão

19 de março Suspensão das aulas da rede estadual pelo período de duas semanas, prorrogáveis em caso de necessidade. “Não podemos esperar que não teremos casos de Covid-19 no RS. Mas podemos diminuir o contato social entre as pessoas, diminuindo a exposição ao vírus e, assim, avançará mais lentamente”, acrescentou o governador com base em estudos realizados pelas equipes da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag).

31 de março – Governo prorroga suspensão de aulas até o dia 30 de abril. “Não vemos, neste momento, a possibilidade de, durante o mês de abril, regredirmos as regras de restrição de contato. Assim, com essa nova orientação, as famílias podem se organizar”, esclareceu o governador.

30 de abril – As aulas da rede pública, em universidades e escolas estaduais e municipais foram suspensas no Rio Grande do Sul pelo menos até junho. A decisão foi anunciada pelo governador Eduardo Leite durante transmissão ao vivo pela internet. Nesta data a expectativa de conclusão do ano letivo era janeiro de 2021.

04 de maio – Recesso escolar até o dia 18 de maio

19 de maio – Suspensão das aulas até o dia 29 de maio

29 de maio – Decisão a ser anunciada pelo Governo e pela Coordenadoria Regional de Educação

 

 

 

Neste artigo

Participe da conversa