Quem dança… Dança para sempre

Segundo a jovem bailarina Emily Basso “a dança é arte que transforma vidas”. Nesta 11ª edição do Festival Santo Ângelo em Dança, que iniciou ontem à noite e...

173 0

Santo Ângelo em dança (6)Segundo a jovem bailarina Emily Basso “a dança é arte que transforma vidas”. Nesta 11ª edição do Festival Santo Ângelo em Dança, que iniciou ontem à noite e termina no domingo, dia 20, ela participa de um “duo” chamado “Laluna Pinkblue”, ao lado de Lyandra Casagrande representam outras 16 meninas do grupo Shabb, integrante do grupo de danças folclóricas da Casa Árabe de Ijuí, composto ao todo, por 58 integrantes.
Emily e Lyandra são destaques no grupo, conservam brilho nos olhos e um sorriso típico de quem faz da dança uma conexão com o belo. Nos últimos 15 dias intensificaram os ensaios, se encontravam no mínimo seis vezes por semana em busca da perfeição.
Segundo estas jovens bailarinas que sonham em fazer da dança um modo de vida, a atividade é gratificante, traz saúde física e mental, melhora a autoestima e aflora os sentimentos. “Quem dança… Leva a dança para sempre” completou a coreógrafa Aliny Minosso, que dança há 16 anos e nos últimos quatro está focada no grupo de Danças Árabes.
A coreógrafa Aliny é educadora física e bailarina. Considera o festival de Santo Ângelo um dos mais importantes do Estado do Rio Grande do Sul. No próximo ano pretende participar com 4 ou 5 coreografias. A Casa Árabe já participou de outras edições e conquistou o 1º Lugar em dança folclórica no festival de 2015. Aspectos como diversidade de gêneros e qualidade técnica dos participantes foram também foram lembradas pela dançarina, que valoriza o evento pela energia surpreendente que percebe a cada ano.

Neste artigo

Participe da conversa