A produção literária de Paulo Prado é acelerada pela pandemia

A dedicação do escritor santo-angelense Paulo Prado a literatura e ao cinema rendeu a publicação de duas obras no ano de 2021. Ele chamou de de ‘Filhos da...

249 0

A dedicação do escritor santo-angelense Paulo Prado a literatura e ao cinema rendeu a publicação de duas obras no ano de 2021. Ele chamou de de ‘Filhos da Pandemia’ e está entusiasmado com a repercussão positiva do trabalho 

Foto: Edegar Cavalheiro | Paulo Prado e Sandy Daiany Couto na antiga estação ferroviária de Santo Ângelo
Foto: Edegar Cavalheiro | Paulo Prado e Sandy Daiany Couto na antiga estação ferroviária de Santo Ângelo

O escritor santo-angelense Paulo Prado editou no ano de 2021 dois livros: ‘O Derradeiro Canto do Cisne’ lançado em março e ‘Viagens ao Interior do Tempo’ impresso no mês de julho.

‘O Derradeiro Canto do Cisne’, veio antes, narra fatos históricos a cerca do Cinema e permite a leitura de crônicas, mas também, conhecer um pouco da história da sétima arte em Santo Ângelo, tendo em vista que, o autor cresceu olhando as telas de projeção, pois sua família sempre foi ligada ao cinema e desde a infância essa arte despertou sua paixão.

O segundo livro saiu da gráfica em julho, portanto, foi recentemente impresso e ganha o impulso de divulgação do autor nesta semana. Esta obra é mais literária que histórica, com leituras rápidas de crônicas, contos e poesias sintetizadas no título ‘Viagens ao Interior do Tempo’.

Segundo Paulo Prado, ‘Viagens ao Interior do Tempo’, esta composto por minicontos, narrativas, Trovas, Haicais, e demonstra sua alegria de poder tirar o leitor das tensões desses tempos difíceis por meio da literatura, ‘dando lugar a coisas que não remetam ao medo nem a morte, mas a explosão do viver e do sonhar’. ‘Letras iguais a balões coloridos, de gás, que sobem ao encontro de todos em um convite à vida, aos belos momentos de plena expressividade’.

A intensão do autor foi proporcionar ao leitor, de ambos os livros, momentos de inspiração e sensibilidade. “Praticamente nada neles, remetem à dor, ao medo, a morte ou a inquietação destes momentos difíceis em que vivemos. Trata-se de duas obras em que o amor, a informação, os diferentes gêneros literários nos abraçam em um momento atípico de nosso viver, permitindo espaços de expansão e sensibilidade onde a criação literária vem ao encontro das letras”, descreve o autor ao se manifestar sobre o momento em que as obras foram escritas e também sobre o resultado de sua intensa produção literária em 2021.

A ilustração da capa foi produzida pelo fotógrafo santo-angelense Edgar Cavalheiro. Nas últimas páginas do livro, ‘Viagens ao Interior do Tempo, é possível conferir o ensaio fotográfico que foi realizado na antiga estação ferroviária de Santo Ângelo. São modelos nas fotos o próprio autor, Paulo Prado e Sandy Daiany Couto.

Viagens ao interior do tempo (Copy)

O derradeiro canto do cisne (Copy)

Neste artigo

Participe da conversa