A história dos povos indígenas das Missões é lembrada no Carnaval do Rio e de São Paulo

A história dos povos indígenas e de Sepé Tiarajú foram exaltadas, tanto no carnaval da Escola de Samba Campeã do Rio de Janeiro, Estação Primeira de Mangueira, quanto...

249 0

Acadêmicos do Tucuruví Cruz Missioneira na passarela do sanba de São Paulo - Reprodução rede globo 03 (Copy)A Mangueira do Rio conquistou o público com a bandeira dos negros, índios e pobres do Brasil. O enredo exaltou fatos históricos marcados por conflitos e contados com menos ênfase nos livros de história. Sendo assim, também trouxe para a avenida o herói missioneiro “Sepé Tiaraju” e lembrou da Guerra Guaranítica. A mangueira também fez uma crítica explícita ao período de ditadura no Brasil.
A Acadêmicos da Tucuruvi de São Paulo fez menção ao direito de igualdade e também lembrou das Missões em uma das alas e alegorias. A ala “Catequização: Resistir para existir” desfilou com o Tripé Cruz Missioneira e causou repercussão nos Municípios das Missões, que cultivam a tradição da Cruz Missioneira.

Carnaval em Santo Ângelo
Em Santo Ângelo será realizada uma festa popular na Avenida Venâncio Aires, em 21 de março. Na noite de quinta-feira, dia 7, no Salão Panorâmico do Clube Gaúcho, foi realizado o lançamento do Carnaval do Município. Este evento carnavalesco tem o apoio da Prefeitura de Santo Ângelo, Câmara de Vereadores, Liga Independente das Escolas de Samba de Santo Ângelo e empresários responsáveis pela realização do evento.

Neste artigo

Participe da conversa