Exposição fotográfica da tribo Mbyá no museu

Sesc promove a exposição fotográfica denominada “Os Guarani Mbyá”. Um trabalho dos fotógrafos Vherá Poty e Danilo Christidis que estará disponível para a visitação no Museu Municipal Dr....

114 0

mbyáO Arte Sesc – Cultura por toda parte traz a Santo Ângelo o resultado da experiência de um fotógrafo em uma comunidade indígena com a exposição “Os Guarani Mbyá”. A mostra poderá ser conferida a partir do dia 6 de abril, quando também ocorrerá o lançamento marcado para as 19h, no Museu Municipal Dr. José Olavo Machado. A comunidade poderá conferir ao trabalho dos fotógrafos Vherá Poty e Danilo Christidis até o dia 30 de abril, de terça-feira a domingo, das 09h às 17h, com entrada gratuita. Mais informações podem ser obtidas junto ao Sesc Santo Ângelo (Rua 15 de Novembro, 1500), pelo telefone (55) 3312-4411, no site www.sesc-rs.com.br/santo_angelo e na página www.facebook.com/sescsantoangelo.
Os Guarani representam uma das maiores populações indígenas do Brasil, cerca de 34 mil pessoas, sendo que aproximadamente 3 mil deles vivem no Rio Grande do Sul, distribuídos em mais de 20 comunidades. Aproximadamente 15 delas foram visitadas pelo fotógrafo Mbyá e Cacique da Aldeia de Itapuã Vherá Poty e o fotógrafo e professor Danilo Christidis durante o período de 7 anos. Em 2008, Danilo Christidis começou a visitar Vherá Poty em sua aldeia a fim de ensiná-lo a fotografar. Não demorou muito para que os papeis se invertessem. Poty se mostrou um fotografo muito talentoso e então passou a ensinar Danilo a como perceber sua comunidade, sua cultura, costumes e formas de pensar o mundo.

Sobre o Arte Sesc
Cultura por toda parte – Criado pelo Sistema Fecomércio-RS em 2007, o programa reúne todas as atividades culturais desenvolvidas pelo Sesc no Rio Grande do Sul, entre teatro, música, artes plásticas, literatura e cinema. Além de promover uma intensa troca de experiências e ampliar o acesso à produção artística, o Arte Sesc busca ser reconhecido como promotor de ações culturais no Estado, sendo elas não só apresentações artísticas, mas também de caráter formativo e educacional, orientadas por três eixos: transversalidade, diversidade e acessibilidade.

Neste artigo

Participe da conversa