Escritores e poetas iniciam obra de uma sede e escrevem mensagens para o futuro

Na implantação da pedra fundamental a Academia Santo-Angelense de Letras deixa para as futuras gerações uma urna com textos, fotografias e escritos históricos

658 0

Foi concretado junto ao alicerce da futura sede da ASLE – Academia Santo-Angelense de Letras uma “cápsula do tempo”, ou seja, uma urna contendo textos de escritores e poetas membros, ainda contém um mensagem do prefeito da cidade, Jacques Barbosa, fotografias históricas, um livro que conta fatos dos 25 anos da entidade. Na manhã de segunda-feira, dia 10, neste mesmo lugar, foi instalada a pedra fundamental que deu início formal às obras da nova sede da entidade.

Assista o vídeo…

A cápsula do tempo – A cápsula do tempo não tem data para ser aberta, segundo Paulo Prado, presidente do Conselho Fiscal da ASLE, “é diferente da ‘Arca do Tempo’, em que reunimos mensagens que foram colocadas no Centro de Cultura e que serão abertas em 24 de abril de 2043, no cinquentenário da ASLE”.

A pedra fundamental – Neste mesmo ato a pedra fundamental foi inaugurada, marcando assim, o início das obras da futura sede da academia, o prazo de conclusão da sede é de quatro meses a contar da assinatura do contrato, que foi em 8 de janeiro. O local da construção é em área central, localizado entre a Biblioteca Pública Policarpo Gay e o Teatro Municipal, na Rua Florêncio de Abreu, o estilo arquitetônico seguirá o mesmo padrão do Centro Municipal de Cultura, com tijolos a vista.

Os Recursos – Os recursos são de uma emenda parlamentar do deputado federal, Darcísio Perondi, o valor é de R$ 278 mil e a verba foi articulada pelo atual secretário de turismo da cidade de Santo Ângelo, Osvaldir Ribeiro de Souza. O prefeito Jacques Barbosa determinou o auxílio da Secretaria de Planejamento para a elaboração do projeto e a realização do processo licitatório e a cedência do espaço foi formalizada na administração passada, do ex-prefeito Luis Valdir Andres, e naquele período, Edna Lautert ocupava a presidência da ASLE.

A academia – A Academia Santo-Angelense de Letras foi fundada em 1993 e conta com 35 cadeiras, ocupadas por escritores de Santo Ângelo e de Entre-Ijuís, com dedicação a literatura e obras de gêneros diversos, entre eles incluindo cantores e compositores, advogados, jornalistas, militares, mestres e doutores na área da Língua Portuguesa e Literatura.

No mês de abril, Otávio Reichert deixará a presidência, que passará a ser ocupada pelo advogado e colunista do Jornal das Missões, Renato Schorr, tendo como vice Paulo Prado.

Participaram da solenidade, acadêmicos da ASLE; os secretários municipais Vando Ribeiro de Souza (Turismo) e Francisco da Silva Medeiros (Meio Ambiente); coordenador da Secretaria Municipal de Cultura, Cleber Warpechowski e o diretor acadêmico da URI, Marcelo Stracke.

Neste artigo

Participe da conversa