Umidade atrasa o plantio e expõe problemas no asfalto

As chuvas distribuídas em todo o mês de maio acumularam 315 milímetros em Santo Ângelo. O período úmido castigou o asfalto urbano e também está impactando na rotina...

211 0

Trigo_em_germinacao_-_Ronda_Alta_-_PF_-_Jose_Schafer 02 (Copy) A pouca luminosidade e o clima chuvoso e úmido estão atrasando o plantio do trigo nas regiões Noroeste e Missões, onde foram plantados apenas 8% da área estimada para esta safra.
O plantio da aveia branca está finalizado nas regiões da Fronteira Noroeste e Missões, no entanto, além do ataque de lagartas, há incidência de doenças foliares nas lavouras, causada pelo excesso de umidade, que refletirão na produtividade da cultura.
A conclusão é da EMATER, que na primeira quinzena de abril realizou um levantamento envolvendo dados de 246 municípios gaúchos, indicando que a área de trigo no RS terá um aumento de 4,12%, passando de 710.158 ha na safra passada, de acordo com o IBGE, para 739.404 ha. Apesar do incremento tecnológico empregado na cultura ano a ano, a produtividade nesta safra reduzirá em -11,21%, ficando em 2.192 kg/ha, contra os 2.469 kg/ha na safra de 2018. Nesse sentido, a produção de trigo do RS também diminuirá de 1.753.099 toneladas para 1.620.894 toneladas, registrando um decréscimo -7,54%.

Umidade prejudica a conservação do Asfalto

O período prolongado de chuva registrado em maio (315 mm) expôs as falhas no asfalto urbano, pequenas rachaduras e fissuras resultam em buracos profundos que preocupam quem faz o transporte coletivo e também os motoristas particulares.
Um exemplo mais evidente do problema da chuva no asfalto urbano pode ser observado na saída da perimetral norte (foto 2), onde os buracos, praticamente tomaram conta da pista.
No entanto, são vários os pontos da cidade que necessitam de reparos. Na rótula da Getúlio um buraco solitário chama a atenção (Foto 1). Na Av. São João existe um trecho, que seguidamente, apresenta problemas, pois o recapeamento é antigo e as condições gerais da pista de rolamento são precárias (foto 3).

Buracos (1) (Copy)

Buracos (2) (Copy)

 

Buracos (3) (Copy)

Neste artigo

Participe da conversa