Templo da Sagrada Família foi interditado

Vendaval ocorrido no dia 17 deslocou o telhado e provocou rachaduras nas paredes.

103 0

Estragos na Paroquia3Templo da Igreja Sagrada Família foi interditado depois que o vendaval ocorrido no dia 17 deslocou o telhado e provocou rachaduras nas paredes. A notificação da defesa civil foi efetivada na manhã de terça-feira, dia 21.
No final da tarde de quarta-feira, dia 22, o conselho administrativo organizou um mutirão entre os integrantes da comunidade para remover todo o mobiliário e imagens sacras do templo. Em primeiro momento foram colocados na quadra de esportes e no dia seguinte, quinta-feira, dia 23, foram organizados no salão de festas, local onde temporariamente ocorrerão as celebrações religiosas, enquanto persistirem as obras de reconstrução da igreja.
No domingo à noite será realizada a posse da nova diretoria, que será comandada pelo Sr. Jorge Kuphall. Que assumirá com a missão de vencer este incidente, considerado um desafio para esta comunidade que tem intensa participação no município.
Kuphall destaca que o trabalho para recuperar a igreja engloba a sustentação do telhado e talvez a remoção de todas as folhas de telhas onduladas que compõe a cobertura do templo, composta por 560 unidades. Será necessária ainda a reconstituição de parte do forro, pintura e conserto das rachaduras das paredes. Dependendo da necessidade os gastos podem variar entre R$ 100 e R$ 500 mil reais.

 

 

O cristo e outras imagens sacras foram retiradas da Igreja
O cristo e outras imagens sacras foram retiradas da Igreja

 

 

ESCOLA GETÚLIO VARGAS TAMBÉM FOI ATINGIDA

Na Escola Técnica Estadual Presidente Getúlio Vargas, foram registrados danos em função da queda de sete árvores, que atingiram o parquinho e parte dos laboratórios dos Cursos técnicos. Cerca de 30 computadores precisaram ser mandados para a assistência técnica e o vendaval danificou quase 80 folhas de brasilit. Além disso, a tempestade derrubou parte de uma e fez com que a água invadisse os laboratórios. Além disso, o forro, paredes e outros equipamentos também foram afetados e passarão por uma avaliação nos próximos dias.

O assistente administrativo Paulo Renato Appel, conta que esse foi o segundo temporal que causou estragos na escola em poucos dias. Em outubro foi necessária a substituição de 40 folhas de brasilits que foram quebras durante o granizo que atingiu a cidade.

Paulo estima que a recuperação dos locais que foram afetados ainda deve levar cerca de 15 dias e ele calcula que somente com a parte da cobertura serão gastos quase 18 mil reais. Além disso, se todos os equipamentos atingidos pelo temporal precisarem ser substituídos o prejuízo pode alcançar até 25 mil reais.  Durante a tempestade haviam alunos na escola, porem ninguém ficou ferido.

 

Neste artigo

Participe da conversa