Queda no uso do transporte coletivo em Santo Ângelo

Pesquisa do TCE-RS faz um diagnóstico do Transporte Coletivo Urbano por ônibus no Rio Grande do Sul

849 0

O número de passageiros que usam o Transporte Coletivo Urbano em Santo Ângelo decresceu em 30%, quando comparado ao ano de 2015, esta é uma das conclusões da pesquisa do TCE/RS que mais chama a atenção em relação ao município de Santo Ângelo. No quesito preço cobrado ao usuário na esfera local, a tarifa fica em R$ 3,5 e está na média, quando comparado aos outros municípios.

USO DO TRANSPORTE COLETIVO

O Índice de Passageiros por Km (IPK) decresceu fortemente na maioria dos Municípios. Em Santo Ângelo chegou a 30,4%, apesar da tarifa, ainda ficar equilibrada com relação ao reajustamento frente à soma do IGP-M e com a perda de passageiros.

De um modo geral, a perda de passageiros no sistema, na amostra selecionada, alcançou 18,3%. Os Municípios mais impactados foram Campo Bom e Vacaria, que perderam 42% e 39,6%, respectivamente. Na região Metropolitana de Porto Alegre, os seguintes Municípios da amostra apresentaram maiores perdas: Viamão, Gravataí, Guaíba, São Leopoldo e Alvorada com 46%, 36,8%, 33,2%, 26%, 21,6%, respectivamente. A perda de passageiros na Capital ficou em 17,8%.

Os Municípios de Santo Ângelo e Ijuí são muito próximos e apresentam números semelhantes, possuindo volumes de passageiros equivalentes por ônibus da frota operante de 9.472 e 10.215, respectivamente.

PREÇO

Dentre os Municípios com população entre 50.000 e 100.000 habitantes, Carazinho é o que possui o menor valor de tarifa, R$ 2,85, (na data da pesquisa) enquanto, Guaíba apresenta o maior, R$ 4,50. Santo Ângelo está exatamente na faixa média de preço, neste quesito, com tarifas na casa de R$ 3,5 (na data da pesquisa).

Outra curiosidade é que Santo Ângelo apresenta o maior salário de cobrador, R$ 1.850,25. O menor salário nesta função foi constatado em Rosário do Sul, R$ 1.032,20.

Segundo aponta a pesquisa, em 2019, a maioria dos municípios utilizou na sua composição de custos, preço do combustível em patamares superiores ao preço de referência da ANP. Destacam-se os municípios de Santo Ângelo e Alvorada, com valores 17,77% e 13,12% superiores aos da Agência Nacional do Petróleo, ou seja, o preço do diesel em Santo Ângelo, pelo menos no estudo, impactou na correção do preço, mais que em outros municípios.

FROTA

Dados desta pesquisa apontam que Santo Ângelo tem uma frota de 18 ônibus com média de 6 anos de uso, 73% desta frota tem acessibilidade. No quesito acessibilidade destacam-se os seguintes Municípios, que possuem 100% da frota com acessibilidade: Alvorada, Cachoeirinha, Carazinho, Esteio, Gravataí, Guaíba, Santa Cruz do Sul Cruz Alta e São Leopoldo. Caxias do Sul possui índice de 96%, seguido por Canoas, com 93%, Santa Rosa, com 90% e por Pelotas, com 89%. Por outro lado, municípios como Ijuí, Montenegro e São Borja têm menos de 60% da frota com acessibilidade, a menor é Erechim com 43%.

Além disso, 54% dos Municípios possuem o controle de passageiros automatizado (bilhetagem eletrônica).

Com relação ao ar condicionado, destacam-se Esteio, com 100% da frota com ar condicionado, seguido por Erechim, com 70%, e Santa Cruz do Sul, com 66%.

IMG_4596 (Copy)

 

Neste artigo

Participe da conversa