Governo estuda vender a metade da Corsan

Diante da possibilidade de abertura de 49% do capital para empresas privadas, lideranças locais preferem esperar o pronunciamento oficial do governo para emitir opinião definitiva

623 0
Estação de Tratamento ETA 2 da Corsan, localizada no Bairro São Carlos, distribui água tratada para 75% da população
Estação de Tratamento ETA 2 da Corsan, localizada no Bairro São Carlos, distribui água tratada para 75% da população

Embalados no discurso da crise, governadores de Estado estudam privatizações e abertura de capital de empresas estatais. Nesta semana, o assunto esteve em pauta e repercutiu na imprensa Estadual. Diante de rumores de abertura do capital da Corsan, questionamos o líder do PDT, Deputado Eduardo Loureiro, que é da base governista sobre a possibilidade de venda desta estatal. O deputado admite que o governo esteja trabalhando na pauta, mas afirma que ainda não foi formalizada nenhuma proposta concreta ou detalhada sobre o assunto.
O superintendente regional da Corsan, João Corim preferiu não se declarar e afirma que ainda não tem conhecimento de propostas do governo para abrir o capital da Corsan para empresas privadas.
Eduardo Loureiro, que é da base governista de Sartori, entende que não seria uma privatização, mas sim, a venda de 49% do capital, negócio que mantém o controle do Estado sobre a Empresa, a exemplo do que foi realizado com o Banrisul. Mas afirma que o assunto é uma especulação da imprensa. Neste contexto, Eduardo acredita que a abertura do capital da Estatal seria benéfica para modernizar a gestão da empresa, pois caso este capital privado seja investido na Corsan, poderia resultar em uma melhor prestação de serviço ao cidadão.

Contexto da Corsan
na Regional Missões
Em maio deste ano o Diretor Técnico da Corsan, Antônio Gomes esteve em Santo Ângelo e afirmou que a Corsan é uma companhia lucrativa e consegue prestar um serviço essencial para a saúde da população. Na Regional Missões, são atendidas 287 mil economias. O superintendente Regional, João Corim, naquela oportunidade, destacou os investimentos recentes da Companhia, afirmando que foram adquiridos para a regional, 126 veículos novos, estão ingressando 50 novos servidores e está em andamento um processo que pretende investir R$ 3 milhões para recuperação dos postos de atendimento e estações de tratamento, compra de novos computadores, entre outras melhorias estruturais na companhia.
O superintendente destacou ainda a recente implantação em Santo Ângelo e Entre-Ijuís do Centro e Controle Operacional que permite o controle automatizado do fluxo de água nas redes do município e as obras de ampliação da rede de esgoto que estão em andamento. A Corsan também realizou a substituição de quilômetros de rede de água potável, bem como centenas de ramais até as residências nos últimos meses.

Sulgás e Corsan
conforme matério
do Correio do Povo
Segundo o Correio do Povo, “no caso das estatais, parte dos aliados quer saber por que a Sulgás, uma empresa enxuta e altamente rentável, está no topo da lista das empresas a serem privatizadas. A base também quer mais informações a respeito de como o governo pretende abrir o capital da Corsan, uma vez que os investidores privados já avisaram que seu interesse se restringe à operação nas regiões com indicadores de consumo lucrativos”.

Neste artigo

Participe da conversa