Dois anos com tímida florada

Ação da Secretaria do Meio Ambiente vai atuar na recuperação dos ipês amarelos

644 0

Os espaços reservados aos ipês amarelos da Av. Brasil estão sendo alargados para melhorar a infiltração de água e nutrientes e, mais uma vez, a floração é tímida e quase nula. Este trabalho de reconfiguração do canteiro central é executado pela secretaria de Meio Ambiente, por meio do Plano de Revitalização Urbana elaborado pelo Poder Público Municipal.
A última vez que os ipês do trecho compreendido entre a Rua Marquês do Herval e Marechal Floriano exibiram o amarelo vibrante foi em 2017, mas naquele ano, já apresentavam a infestação de plantas parasitas, como erva de passarinho e já não era uma florada plena.
Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, o engenheiro florestal e membro do Condema, Nelson Almeida, defendeu a ampliação da área dedicada aos ipês e compreende que permitirá maior infiltração de água, mais absorção de nutrientes pelo solo e mais espaço para o desenvolvimento das raízes. “A partir de uma adubação com nutrientes e mais saudável a planta, mais exuberante será a floração. A ação ambiental também vai reduzir o risco de queda das árvores, garantindo mais estabilidade para o desenvolvimento de suas raízes”, pontuou.

CENTRO HISTÓRICO
Também inserido no Plano de Revitalização Urbana, iniciou o plantio de gramas no canteiro central da Rua Bento Gonçalves, entre as ruas Antunes Ribas e Marquês do Herval, em frente ao Colégio Onofre Pires. O trecho já recebeu o plantio de ipês, árvores nativas, e crótons, uma espécie de planta arbustiva que tem ganhado destaque na ornamentação de ambientes e jardins em todo o mundo.
A área que está sendo revitalizada tem intenso fluxo diário de pais e estudantes do Colégio Estadual Onofre Pires e conhecido ponto de referência para turistas que visitam o Largo da Catedral Angelopolitana, no Centro Histórico de Santo Ângelo.

IMG_7312 (Copy)

Neste artigo

Participe da conversa