As terras do Bairro Pippi já foram de Odão Felippe

Um busto em homenagem a Odão Felippe Pippi lembra desta personalidade que dá nome a uma escola e um bairro da cidade

203 0
Base de granito instalado no Parque de Exposições Siegfried Ritter
Base de granito instalado no Parque de Exposições Siegfried Ritter

Odão Felippe Pippi (1900-1971) foi Prefeito de Santo Ângelo durante dois mandatos, de 1951 a 55 e de 1959 a 63. Um busto do ex-prefeito foi erguido em uma base de granito nas dependências do Parque de Exposições Siegfried Ritter, pois foi no ano de 1954, durante um dos mandatos desta personalidade, que a primeira Fenamilho foi realizada.
Este monumento localiza-se entre o pavilhão central e o DMT- Departamento Municipal de Trânsito. Foi inaugurado no ano de 2007 para resgatar a memória deste personagem da história de Santo Ângelo e idealizado pela comissão organizadora da 13ª Fenamilho Internacional, presidida, naquele ano, por Wilson Luiz Pippi.
No entanto, o Busto de Odão Felippe Pippi não está no pedestal confeccionado para ele. Adão Antunes da Silva, que zela pelos gramados do Parque, disse que foi por meio da ação de vândalos que a cabeça do monumento foi ao chão e durante a última Fenamilho o busto já não estava no lugar. Na quarta-feira, dia 26, Adão Antunes assinava o livro ponto ao lado do busto e afirmou ter conhecido Odão Felippe Pippi. Fala com orgulho que começou trabalhar na Prefeitura em 8 de março de 1956, aposentou-se em 1990 e agora, com 81 anos, voltou ao trabalho. “Já presenciei a morte de seis prefeitos”, disse Adão.
Adão não falou muito sobre Odão Felippe Pippi, mas disse que era uma personalidade de temperamento dócil e se comportava com simplicidade. Odão Felippe Pippi nasceu no município de Silveira Martins e veio para Santo Ângelo no ano de 1925. Filho de Próspero Pippi e Serafina Pippi, diplomou-se na Escola prática de Comércio de Porto Alegre e na política, trabalhou na capital gaúcha pela formação do Partido Trabalhista Brasileiro – PTB, sendo um dos membros fundadores deste partido no Rio Grande do Sul.
Era proprietário de uma olaria e lotes de terras localizadas onde hoje é o Bairro Pippi, aliás, núcleo urbano que é identificado com o sobrenome da sua família, pois foi por meio da visão deste homem que iniciou-se a urbanização de Santo Ângelo para o lado leste. Foi por meio do loteamento destas terras que se originou e organizou-se um dos Bairros mais populosos de Santo Ângelo.
A construção da Igreja Católica que identifica a religiosidade e devoção de muitos moradores daquele local, também foi impulsionada pela liderança de Odão, em levantamento histórico realizado para registrar os 64 anos de atividades pastorais daquela comunidade, conta-se que a escolha do padroeiro do Bairro Pippi, Santo Antônio, teve a influência de Odão Felippe Pippi, que era devoto deste santo.
Portanto, Odão Felippe Pippi contribuiu na política, urbanismo e expansão demográfica da cidade de Santo Ângelo. Foi na segunda gestão de Odão Felippe Pippi que foi a criada a fonte, o lago e o novo projeto de ajardinamento e implantação do largo cívico na Praça Pinheiro Machado (1963).
Odão Felippe Pippi teve três filhas, duas delas ainda moram em Santo Ângelo, Dorothy e Dalva, uma terceira filha, Dulce, que reside na cidade de São Leopoldo.
Dorothy explica que a Escola do Bairro, faz uma homenagem e é identificada com o nome de seu pai, porque, o terreno onde foi construída, foi uma doação de Odão Felippe Pippi para a comunidade escolar.

Monumento a Adão Felippe Pippi está desmontado. Na foto, o Servidor público Adão Antunes assina o ponto ao lado da cabeça do homenageado que foi alvo de vandalismo
Monumento a Adão Felippe Pippi está desmontado. Na foto, o Servidor público Adão Antunes assina o ponto ao lado da cabeça do homenageado que foi alvo de vandalismo

Odão Felipe Pippi (10) (Copy)

Neste artigo

Participe da conversa