As “Aerovias” que passam sobre Santo Ângelo

Diariamente aviões em rotas internacionais sobrevoam a região. Inclusive, em dias que a atmosfera está suficientemente fria essas aeronaves produzem rastros de condensação que ficam marcados no céu...

792 0

Três aerovias estão localizadas ao norte de Santo Ângelo, permitindo diariamente a visualização de aviões em rotas internacionais. As aerovias UL310 e UM400 são utilizadas principalmente por aeronaves que voam entre o Brasil, norte da Argentina e o Chile. Já na UM532, os aviões que podem ser vistos com mais frequência são os que ligam Buenos Aires as principais capitais europeias.
Na última quinta-feira, pela manhã, foi possível observar por diversas vezes esse trafego aéreo e somente das 5h ao meio-dia, pelo menos 17 aviões comerciais utilizaram essas aerovias, deixando trilhas sobre os céus das missões.
Entre as aeronaves mais comuns estão o Boeing 767, Boeing 787-9 Dreamliner, Airbus A340, além do imponente Boeing 747-8, com capacidade para transportar mais de 400 passageiros. Contudo, a quantidade de aviões que passam por aqui, é ainda maior, pois aeronaves privadas como jatinhos particulares e aviões militares também utilizam essas “estradas invisíveis”, que orientam os voos sobre o país.

Sem título2
Fonte: AISWeb

O QUE SÃO ESSAS “AEROVIAS”

Segundo a FAB, as “aerovias” são rotas aéreas na qual os aviões devem percorrer. Essas rotas permitem que os pilotos, através de seu equipamento de navegação, consiga navegar com segurança e precisão.
Por muitas das vezes, é possível observar dois aviões em sentidos concomitantes e que se cruzam próximo à região. No entanto, isso é algo extremamente normal na aviação, uma vez que mesmo estando próximos ou em rotas semelhantes, eles possuem altitudes diferentes. Nestas aerovias existem “andares”, que mantem um avião longe do outro com total segurança.
Além disso, as aeronaves também podem viajar em velocidades diferentes, dependendo da autonomia de cada modelo de avião.

COMO SE FORMAM OS RASTROS?

Em determinados dias, os aviões que trafegam por essas aerovias deixam um rastro longo, semelhante a uma nuvem. Esse fenômeno é chamado de rasto de condensação e só se forma quando a atmosfera está suficientemente fria, por volta de -40ºC. Além disso, a aeronave precisa estar em uma altura superior a oito mil metros. O Departamento de Controle do Espaço Aéreo-DCEA, explica que as turbinas das aeronaves produzem uma descarga de ar quente de mais de 300 graus Cº. Assim, na descarga, esse ar quente em contato com a umidade gelada, resfria-se rapidamente e se condensa. O resultado, com o movimento do avião, é uma fina nuvem de cristais de gelo, que quando vista da terra parecem riscos no céu.

IMG_20190710_180318866

Avião da TAM, fotografado enquanto deixava rastro de Condensação na última quinta-feira, dia 11
Avião da TAM, fotografado enquanto deixava rastro de Condensação na última quinta-feira, dia 11
Por meio do aplicativo FlightRadar 24h, é possível conferir quais aviões estão próximos à Santo Ângelo
Por meio do aplicativo FlightRadar 24h, é possível conferir quais aviões estão próximos à Santo Ângelo
Neste artigo

Participe da conversa