Sábado 21/01/2012

Vimos aqui que não têm hífen estas expressões: polícia militar, policial militar, polícia aduaneira, polícia naval, polícia política e polícia rodoviária. Essa grafia é a correta e está...

418 0

Vimos aqui que não têm hífen estas expressões: polícia militar, policial militar, polícia aduaneira, polícia naval, polícia política e polícia rodoviária. Essa grafia é a correta e está em acordo com a nova reforma ortográfica a entrar em vigor em 2013? Sim, essa grafia está correta e está em acordo com a nova ortografia. Alguns estudantes disseram que viram a expressão polícia-inglesa escrita com hífen. Também eu vi escrita com hífen. Via-a escrita com hífen tanto no singular – polícia-inglesa – quanto no plural – polícias-inglesas. É uma exceção? Não. Polícia-inglesa não se refere à pessoa policial, mas à ave. É uma ave que está em quase todo o Brasil. Tem, no geral, coloração bruna. A cor carmim toma-lhe conta da garganta, do encontro das asas e de parte do peito. Eis três sinônimos da ave polícia-inglesa: puxa-verão, rouxinol-do-campo e tem-tem-do-espírito-santo.
Vejamos esta frase: A empresa começou pagar seus funcionários. Correta? Não, errada. Apresenta dois erros crassos. Um, o verbo começar exige a preposição a antes do infinitivo. Outro, o verbo pagar, quando se refere às pessoas, também exige preposição a. A frase, para ser correta no português, deveria e deve ter esta escrita: A empresa começou a pagar a seus funcionários. O verbo pagar, uma vez se referindo a coisas, exige a preposição a? Não. Fica sem essa preposição. Exemplos: A empresa começou a pagar as dívidas. A empresa começou a pagar suas dívidas. A empresa começou a pagar os bancos. Ademais, o verbo principiar, uma vez posto antes do infinitivo, exige a preposição a? Exige. O verbo começar e o verbo principiar exigem a preposição a antes de outro verbo no infinitivo: O estado começou a pagar aos professores o piso nacional? O estado principiou a pagar o piso nacional aos professores? Ainda não. Ainda não?
Outra frase que foge do português culto é esta: O estado vai estar principiando a pagar aos professores o piso nacional do magistério no ano da eleição para governador. Frase, além de espichada, errada no uso do gerúndio. Devemos evitar, tanto na fala quanto na escrita, o gerundismo. Convém evitarmos o uso do gerúndio para expressar o futuro. Corrigindo, a frase ficará dita deste jeito: O Estado principia a pagar aos professores o piso nacional do magistério no ano da eleição para governador. Outra frase correta: O contribuinte pode pagar o imposto até o último dia útil deste mês. Errada se fosse escrita deste jeito: O contribuinte pode estar pagando o imposto até o último dia deste mês.
Por fim, vejamos esta frase: Orlando Silva, outro ministro mergulhado na corrupção e no enriquecimento ilícito, tinha suspenso as construções dos estádios. Algum erro de português na frase? Sim, o particípio suspenso, o qual deve ser substituído por suspendido. Por quê? Porque com o verbo ter e haver se usa o particípio regular e não o particípio irregular. Irregular é mais curto. Regular é mais longo. A frase em foco, para ser correta no português culto, deveria e deve ser escrita assim: Orlando Silva, outro ministro mergulhado na corrupção e no enriquecimento ilícito, tinha suspendido as construções dos estádios.

Neste artigo

Participe da conversa