Trigo em fase de espigamento e emborrachamento pode ter perdas superiores a 50%

Presidente do Sindicato Rural de Santo Ângelo, Sr. Laurindo Nikititz concedeu uma entrevista ao Canal Rural na última quinta-feira, dia 27, quando falou sobre os efeitos das duas...

204 0

Presidente do Sindicato Rural de Santo Ângelo, Sr. Laurindo Nikititz concedeu uma entrevista ao Canal Rural na última quinta-feira, dia 27, quando falou sobre os efeitos das duas geadas registradas nas Missões, nos dias 21 e 22 de agosto, na opinião deste representante sindical houveram efeitos nocivos para as lavouras de trigo, aveia e canola. Ele avaliou como “uma verdadeira catástrofe”

 

Presidente do sindicato Rural de Santo Ângelo, Sr. Laurindo Nikititz - Imagem: Reprodução de vídeo divulgado nas redes sociais
Presidente do sindicato Rural de Santo Ângelo,
Sr. Laurindo Nikititz – Imagem: Reprodução de vídeo divulgado nas redes sociais

Na avaliação de Laurindo Nikititz, a maioria dos triticultores tiveram perdas que podem superar a 50% em determinadas áreas. A Federação das Cooperativas Agropecuárias do Rio Grande do Sul (Fecoagro) estima perdas de 30% na produção.

Cerca de 70% das lavouras de trigo estavam na fase de espigamento e emborrachamento aqui na região de Santo Ângelo, afirma Nikititz, e nesta fase o congelamento da planta pode ter ocasionado perda total em algumas lavouras, na sua avaliação, os estragos atingiram de 50% a 100%, mas sobretudo, nas lavouras implantadas no mês de maio até o dia 20 de junho, que se encontravam nesta fase vegetativa .

Naquelas lavouras plantadas no final do mês de junho e início de julho ele avalia que também foram prejudicadas, porém, em menor proporção, pois a fase em que se encontravam as plantas ainda permitem alguma recuperação. Na análise de Nikitiz, os mesmos índices valem para outras culturas de inverno como a canola, aveia (preta e branca) para produção de grãos.

Neste artigo

Participe da conversa