O alerta de milhares de agricultores

Macro regional da FETAG - Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul realizou o 8º Grito de Alerta e reuniu cerca de seis mil agricultores...

237 0

Agricultores e trabalhadores rurais vindos de Municípios das Missões e da Fronteira Noroeste percorreram Ruas e Avenidas de Santo Ângelo no 8º Grito da Terra. O ato público realizado na manhã de quinta-feira, dia 17, contou com a participação de cerca de seis mil pessoas, conforme declarou a FETAG, Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul, entidade que agrega os sindicatos dos Trabalhadores Rurais em todo o Estado. Houve momentos de concentração e encontro de pessoas em locais como o trevo de Entre-Ijuís, acesso a Santo Ângelo no Trevo da Av. Ipiranga com a ERS 344, na Catedral Angelopolitana e na Praça Ricardo Leônidas Ribas.
A caminhada foi composta por produtores e trabalhadores rurais de varias cidades. Eles temem a concretização de uma política pública que corta direitos adquiridos e não os privilégios e excessos de outras classes. Os manifestantes acreditam que quem mora na zona rural e trabalha na agricultura tem papel fundamental para colocar o alimento na mesa dos brasileiros e o evento se mantém como uma forma de manifestação em prol das causas dos agricultores familiares.
O Grito de Alerta é um instrumento de atuação política com o qual os trabalhadores rurais e agricultores familiares reivindicam por condições mínimas de permanência na atividade rural. Eles reivindicam políticas públicas que incentive a permanência do jovem no campo, preço mínimo aos alimentos produzidos no campo, taxa de juro reduzida para investimento na produção agrícola familiar, manutenção da aposentadoria dos trabalhadores e trabalhadoras rurais.
O deputado federal Elvino Bohn Gass esteve presente no Grito de Alerta e defende que os agricultores estão perdendo a cada dia mais direitos como as políticas de seguro agrícola, programas habitacionais e há a ameaça de mudança nas regras da aposentadoria de homens e mulheres do campo. O deputado também defende a manutenção de um ministério específico para as causas da Agricultura Familiar.
A marcha do 8º Grito de Alerta Missões Fronteira Noroeste foi iniciada em Entre Ijuís por volta das 6h30min, Após percorrerem cerca de 8km, chegaram no Posto Nevoeiro. Por volta das 9h30min deixaram o Trevo do Carreteiro em direção à Catedral de Santo Ângelo, quando fizeram uma pausa e um ato simbólico e depois seguiram em caminhada pela Rua Marques do Herval até a praça Ricardo Leônidas Ribas. O percurso total ultrapassou 10km. A realização da manifestação é da FETAG e suas Regionais Sindicais Missões I, Missões II, Santa Rosa, Três Passos e Ijuí. A próxima edição do Grito de Alerta, em 2018, será no município de Ijuí.

Neste artigo

Participe da conversa